Blog da Gabi ;)

Divagações, citações, fotos, livros e viagens.
Amigos, família, planos, projetos, música.
Opinião, conversa pra jogar fora, vontade de escrever.

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

30.4.07

O Rio Tietê ainda vive

Na viagem para Tupã, passamos pelo Rio Tietê. Mais parece um mar do que um rio, de tão grande que é! E ainda é azul, e ainda é limpo e é enooorme!
Impressionante a diferença com o rio que a gente conhece em São Paulo!









E depois de contemplarmos a natureza, ainda na estrada de Tupã, paramos no "Rancho da Laranja" para comer coxinha de frango com massa de mandioca: D-I-V-I-N-A!!! E também ouvir os causos dos viajantes motoqueiros e também dos tratoristas. E ainda vimos o pessoal indo de bicicleta pra ponte, pra pescar (e é proibido!)!

É por isso que adoro pegar uma estrada. Ver coisas diferentes do cotidiano, com diferentes olho! Veja só:









Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Tupã tem Walkíria


Mulher de fibra, exemplo de vida. Walkíria não tem esse nome à toa — é nome de mulher guerreira, que sabe onde vai. (Na foto acima, ela e Thaís)

A festa que aconteceu em Tupã e que participamos como convidados da anfitriã, dona da escola de inglês CCBEU, mostrou-me o quanto é possível se espelhar em Walkíria, a dona da festa. Mãe de Thaís, essa grande amiga, tradutora jurídica da língua inglesa, que mora na Alemanha; de Daniel, homem de negócios bem sucedido em Nova York e de Rafael, médico respeitado em Barretos, Walkíria nunca foi menos do que exigentíssima em tudo que faz. Para os filhos, sempre o melhor, para si mesma, sempre a busca de desafios.

Mãe e pai ao mesmo tempo, Walkíria sempre trabalhou
— e muito — para colher os frutos que vê agora: admirada, adorada, copiada, buscada por todos e recebendo homenagens nos 35 anos de sua escola. Por sinal, a homenagem na festa foi de fazer chorar: 35 pessoas entregaram a ela uma rosa, e ainda cada um disse a ela uma de suas várias qualidades: coragem, perseverança, amizade, ensino, companheirismo, empreendedorismo. Walkíria é uma mulher que merece todos os adjetivos positivos possíveis para uma pessoa que trilhou seu caminho, criou seus filhos, fundou uma escola e mais do que tudo: sorriu muito a muitos, cobrou o necessário de todos para crescerem. Firme e forte.

Tia Walka, sou sua fã!

Foto acima: Atrás de uma grande mulher, também há sempre um grande homem: Alberto é a melhor pessoal para sentar e conversar por horas a fio!

Assim, depois de um mês que aconteceu a festa, as fotos do evento, que foi o máximo! (As amigas da tia Walka — uma pintora, outra que fala mil línguas, uma senhora proprietária de outra escola, ativa com mais de 80 anos — são outro capítulo à parte!)

Foi um fim-de-semana de muita cultura e festa! Vejas as nossas fotitas:



Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

26.4.07

O Ibirapuera

Estou em São Paulo. A feira está ótima e linda - vou postar fotos amanhã.

A exposição acontece no Ibirapuera e no primeiro dia, almoçamos no restaurante do MAM.

Tínhamos acabado de chegar de Ribeirão, ou seja, levantamos às 6h30 da manhã para pôr o pé na estrada. Quando chegamos, tivemos que subir seis lances de rampas, com as caixas de cachaça, para chegar ao nosso stand, no terceiro andar. O que resultou em dor nos braços, nas perninhas e stress. Estamos com o stand do Sebrae-SP e ele está bem legal: a concorrência do Estado toda junta! Imagine...

Então, depois de organizarmos as garrafas e morrermos de calor, descemos pra ver onde colocaríamos o carro - porque agora no Ibirapuera TODAS as áreas são de área azul. Achei um lugar e fomos comprar os papéizinhos da área azul (não teve jeito). O Marcelo voltou ao lugar para colocar os papéis e surpresa: fui multada. Toda a frustração e cansaço veio à tona. E então, chegamos ao restaurante do MAM.

Eu já estava chateada, querendo voltar pra casa, cansada e tudo mais... E assim, descobri como as pessoas ficam cegas às coisas lindas da vida. Como sempre, fiz amizade com a garçonete e ela me disse uma coisa, enquanto eu tomava um capuccino reconfortante e gigante, que eu voltei a ter meus olhos de turista: "Eu te ofereci a mesa da janela pra que você pudesse apreciar o Ibirapuera. Um cliente uma vez me perguntou quanto eu pagava pra poder trabalhar aqui. Acho que sou privilegiada...", disse Maria Simone.

Desliguei de tudo. Abri meus olhos. Repensei minha frustração e abri um sorriso: eu também tenho esse privilégio! E vi o Ibirapuera com meus "olhos de turista" mais uma vez!

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

23.4.07

Saia Justa, de Salto Agulha e sem vergonha

A Karina, minha grande amiga do Salto Agulha, assistiu ao programa Saia Justa no sábado e acabou por ME colocar numa saia justa: escreveu um texto fenomenal (o que é normal, é claro) e colocou todo mundo a discutir sobre o que temos ou não vergonha – mas, falar sobre isso dá vergonha!

Desafio: assumir seus medos e inseguranças dá vergonha; escrever aqui pra todo mundo ler também dá muita vergonha. Mas não há o menor pudor da gente em elogiar, em querer bem. E, por muito amor que sinto por essa linda pessoa que é essa loira, vou assumir minhas pequenas vergonhas e minhas faltas de vergonhas:

Morro de vergonha:
- Da minha falta de coragem, muitas vezes, de tomar certas atitudes, de falar o que venho ruminando há tempos;
- Quando sou grosseira com alguém indevidamente e só percebo depois que já fiz;
- De “sapatear” (ter um monte de coisas pra fazer e não conseguir sair do lugar, às vezes);
- De colocar biquíni;
- De cair (sou mestra!);
- De quando escrevo sobre sentimentos (mas estou tentando passar por isso!);
- De ser elogiada;
- Dos meus foras fenomenais...
(parênteses de só um deles: na semana passada, dei um fora de matar de vergonha – como trabalho em casa, um cara veio conversar com meu pai e o jardineiro veio me avisar. Eu disse a ele: “diga que meu pai não está – e não estava mesmo – e nem pense em falar que eu estou aqui!” – senão, o cara ia querer conversar comigo, em pleno horário de almoço. Só que, na hora que eu estava falando tudo isso para o jardineiro, que é meio surdo – ou seja, eu falava em alto e bom som –, o cara já estava chegando na porta da minha casa, onde eu estava. Me ouviu!!! Saí correndo pra dentro de casa e não saí de lá até a hora que ele foi embora! O pior é que nesse meio tempo, meu pai chegou e o convidou pra entrar e conversaram durante horas... – Eu quis MORRER de vergonha!!! – esse é só um deles, viu!?)
- Ih! Tem tanta coisa...

Não tenho a menor vergonha:
- De sorrir pra todo mundo;
- De pedir pra me explicarem o que eu não sei;
- De trabalhar (desde o braçal até o intelectual – na verdade, tenho muito orgulho!);
- De assumir meu lado perua, quando dá.
- Ih! Também tem tanta coisa... Mas acho que já dá pra ter uma idéia!

* Key, querida!
Que desafio, hein!?
O mais difícil é parar a lista! ;)
Um beijo!*

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

22.4.07

Mais poesia em São Paulo

O Museu da Língua Portuguesa começa na terça-feira uma exposição sobre Clarice Lispector - ucraniana, que veio para o Brasil ainda bebê, e que soube muito bem fazer o uso da palavra brasileira.

Já faz 30 anos de sua morte e também são 30 anos desde o lançamento de seu livro mais conhecido: A Hora da Estrela. Segundo matéria do Estadão, no museu, à distância, o que se destaca é o rosto de Clarice Lispector, enorme, lindo, enigmático. Ao se aproximar, o visitante vai descobrir que a imagem está impressa em filó preto, que revela, olhando bem de perto, frases da escritora.

A estréia oficial de Clarice Lispector na literatura ocorreu em 1943, quando, aos 23 anos, ela teve publicado Perto do Coração Selvagem, romance que inaugurou uma nova linguagem nas letras brasileiras, na trilha de Virginia Woolf. Mas seu nome já circulava fazia tempo, especialmente na imprensa, que publicou 16 contos, além de outros nunca editados. Em pouco tempo, Clarice estabeleceu novos parâmetros para a literatura brasileira.

Além da exposição, que fica em cartaz até o dia 2 de setembro, Clarice será também lembrada por um site oficial. A matéria do G1 também está bem legal e completa!

"Eu escrevo simples, eu não enfeito" - diz Clarice Lispector.
Como estarei em São Paulo essa semana, vou fazer de tudo pra dar tempo de ir fazer uma visita à exposição: com certeza ela trará muita inspiração para este blog! ;)

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres



PARA SER GRANDE, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive.

(Ricardo Reis, "vulgo" Fernando Pessoa)

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Meus amigos casam, mudam - e deixam o endereço

Ontem fui ao casamento de uma amiga que não via há séculos. Ela, noiva linda, resplandescente de alegria, sentou ali com a gente durante a festa um tempão, relembrando as baladas que já fomos.

Sempre foi uma menina reservada, discreta, sem chamar atenção dos paqueradores de plantão. O contrário de sua prima, que sempre foi daquelas loiras fatais, que por onde passava causava furor.


Éramos uma turminha bem heterogênea: todas completamente diferentes na maneira de agir, de se vestir, de curtir. E da noiva, eu esperava muito menos do que encontrei ontem. Na época que saíamos juntas, há uns 10 anos atrás (só, hein!?), eu via no futuro dela uma "vidinha medíocre". O que vi ontem foi o oposto: uma pessoa realizada, de bem com a vida, feliz e que demonstrava isso na sua beleza desabrochando.

A prima.... Bem, a prima que era um deslumbre, foi quem me decepcionou: levando a vidinha medíocre que eu achei que seria a outra que levaria, apagou, virou dona de casa, mãe - e não soube usar isso a seu favor. Fechou-se no seu mundinho. Uma pena... Foi tão minha amiga. Muito mais que a noiva. E de repente, se tornou uma estranha.

A noiva, cheia de realizações, foi de quem eu quis aproveitar as boas energias! Fiquei contente de depois de tanto tempo de distância, estarmos juntos novamente! Relembrando velhos e bons tempos!

É... Realmente a vida surpreende. E cada vez mais claramente vejo que são as pessoas que escolhem e trilham seu caminho. Para o bem ou para o mal...

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

21.4.07

A boa e velha língua portuguesa

Vai mudar!!!

Eu sou neurótica por português. Sempre corrigi todo mundo e sempre odiei minhas falhas com a língua, pegas no ato por amigos que me conhecem muito bem!


Minha maior tara é pela crase - na maioria das vezes, mal utilizada. E agora, vejo que fica cada vez mais próximo o dia que estarei defasada:
o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa de 1990 exclui a trema de nosso vocabulário; paroxítonas terminadas em "o", não terão mais circunflexo; o acento agudo nos ditongos abertos "ei" e "oi" de palavras paroxítonas também não existirão mais.

Leia tudo aqui: "
Vão seqüestrar o trema!"

Quando vai entrar em vigor, eu não sei. Mas já estou me sentindo uma vovózinha! Como minha tia-avó, que tem seu nome escrito com PH: Ophélia!
Fora de moda, né!? Mas eu acho lindo!

Agora, como será escrever sem os acentos que aprendi a usar quando era pequena? Considero impossível! Isso já está enraigado em mim!

Minha língua mãe quer me deixar a ver navios... Será que precisamos descobrir novos mares, como os portugueses?

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Gabi sumiu...

Mas eu não queria! É que a semana, pra variar, foi corrida!

Estamos nos preparando para as duas feiras que vamos participar em São Paulo nas próximas semanas: a Brasil Cachaça e a Bio Brazil Fair (procura a gente lá! Em Expositores: Cachaça Gabriela na área!). Aí, não sobrou tempo nem pra respirar.

Temos que deixar tudo pronto na empresa, pra funcionar sem a gente e ainda temos que preparar tudo pra levar para as feiras (o que ainda não fizemos!)

Na quinta, fomos pra São Paulo, numa viagem relâmpago e pra piorar, meu notebook resolveu que não funcionava: entrei em crise, achei que tinha perdido minha vida, chorei pelo blog desatualizado (nossa, exagerei! Bem... Sou da família do drama - um dia conto sobre ela).

Maaaas, voltando pra casa, descobri que quem me abandonou foi a bateria. Graças a Deus! Vocês não imaginam a frustração que é descobrir que você é tão dependente de um "computadorzinho" (que meu note não me leia!) ...

E assim, o cotidiano está me deixando sem muitas alternativas. Ainda estou devendo tantas histórias aqui mas, não consigo sentar pra escrever. Me desculpem.

Minha teoria está cada vez mais certa:
O ditado diz "cabeça vazia, oficina do diabo".
Eu digo: "trabalho demais, alienação".
Tô quase lá... :P

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

16.4.07

Álbum de fotos, coleção de lembranças

Sair pra se divertir, beber, comer, comemorar, brigar, implicar, fofocar, rir e chorar com os amigos: nada melhor que um barzinho pra deixar todo tipo de emoção fluir. Este é o meu lugar!

Você é um entre vários outros no mesmo bar. Ao mesmo tempo que todos querem te ver, ninguém está muito preocupado com você. Sua turma é a sua turma — quem importa é quem divide a mesa com você. Os outros são só passatempo...

E eu considero este o melhor lugar pra ver gente, pra ter novas idéias, pra fotografar...

Os quatro posts abaixo estão divididos pelos bares que a gente está indo com mais freqüência e que por isso, têm fotos. Se prestar atenção, nem dá pra ver o bar direito porque o que interessa mesmo são as pessoas que me cercaram em todos esses dias de altas baladas, de comemoração, de conversa séria e nem tanto, de harmonia e de liberdade...

Amigos são sempre amigos. E como eu sempre digo: "fota! fota! fota!"

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Água Doce Cachaçaria

Normalmente o lugar de comemorações.
No caso, foi o aniversário da Ana!
Esse dia, pra variar, estava bombando!

Minha amiga Thaíxxxxxxxxxxxx!!!!
Diretamente da Alemanha para a nossa mesa!

E nosso amigo gringo, entrando na caipirinha!

(Fotos do final de março)

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Zaragozza

Este anda sendo o lugar da balada!
"Todo mundo espera alguma coisa de um sábado à noite..."
Até Joice, minha querida irmã, em destaque na foto, às vezes vem de São Paulo nos acompanhar na bebedeira!E é daqui que vem a minha maior coleção de copos roubados...

Mas o negócio é o seguinte: esse bar é dançante! Ou tem música ao vivo, ou tem DJ. Ou seja, a gente sempre se esbalda e consegue exalar um pouco do álcool antes de voltar pra casa... ;)

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Quinta Esquina

Encontros com a turma da faculdade são sempre marcados aqui. Porque é baratinho, uma delícia e tá sempre cheio de gente de todos os tipos! Todas as tribos são bem vindas!

(Fotos de fevereiro)

(Um outro dia de Quinta Esquina - não me pergunte quando porque bebi demais pra lembrar... Foi um happy hour, isso eu sei. E tava de TPM - por isso, nem pensei em sair na foto!)


Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Casa 20


Casais 20 no Casa 20 - um barzinho bem legal, com umas comidinhas deliciosas e um espaço pra crianças. Dá bastante família aqui e a cerveja é geladaça!

Saudades do Neto e da Ellen! Faz tempo que a gente não se encontra pra falar de Internet! hihihihi E outras cositas mais, é claro!

(Fotos de janeiro)

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

15.4.07

Peça, acredite, receba

"Hos successus alit: possunt, quia posse videntur."
Do latim, "O sucesso encoraja-os: eles podem porque pensam que podem."
Citação de Eneida, de Virgílio. Ou seja, o sucesso traz sucesso. (Tirei do livro que estou lendo agora: O Códex 632)

A capa da revista Veja há umas semanas atrás tinha o mesmo título que o deste post. O assunto é esse mesmo: pensamento positivo pode fazer milagre, se você acreditar.

Aí hoje, até que enfim, revelei minhas fotos e aconteceu uma coisa que há muito não acontecia: me achei bonita nas fotos (ultimamente nem queria sair nelas). E descobri porquê: porque eu estou acreditando em mim, porque eu me vejo como uma pessoa que está se realizando, porque eu me vejo como uma pessoa capaz. Realmente, a tempestade passou: eu estou muito bem como estou! (E amanhã vou escanear as fotos e contar suas histórias!)

Ou seja, a gente faz o que acredita poder fazer. E quanto mais fizer, mais coisas será capaz de fazer! Eu acredito e estou vendo acontecer!

Pense nisso e tenha uma ótima semana!

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Arte num domingo

Di Cavalcanti
Scenário nº 1 - 1900, 1935
guache s/ papel, 16,0 x 21,7 cm


Um domingo de muito sol, passeios ao ar livre, totalmente relax, com pessoas que você gosta! É o que desejo pra você e pra mim!
E um pouquinho de Di Cavalcanti para apurar nossos olhos ao belo...

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Catarina, a japonesinha

Veja que coisa mais fofa essa japonesinha que a gente vem acompanhando o crescimento através de fotos.

Seus pais, fotógrafos profissionais, não estão morando mais na mesma cidade que a gente. Mas eu continuo apaixonada por essa japonesinha mais linda do mundo!

Sem contar que ela tem o nome da minha futura filha...

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

À memória do Titanic, 95 anos depois

Hoje faz 95 anos que o barco Titanic afundou. Talvez a maior tragédia da indústria naval de todos os tempos, não só pelo acidente em si e das vidas que se perderam, mas também pelo impacto que produziu na sociedade da época e a áurea mítica que acompanha sua memória por todas as gerações seguintes, até os nossos dias.

"O inafundável", sobrenome com o qual havia sido batizado em um excesso de otimismo, o transatlântico afundou às 2h20 da manhã de 15 de abril de 1912, uma segunda-feira, depois de ter se chocado, 2 horas e 45 minutos antes, com um iceberg, durante o transcorrer de sua viagem da cidade de Sothampton a Nova York. Dos 2.224 passageiros que iniciaram a viagem, somente 701 sobreviveram à tragédia.


O barco era comandado pelo capitão veterano Edward John Smith, o mais experiente e prestigiado funcionário da White Star Line, que antes de começar a viagem, disse que este seria seu último trabalho, para então, aposentar-se e ter tempo para sua esposa e filha.


Li e soube aqui - um site que adoro visitar e ler en español!

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Estou fora do peso ideal faz tempo!

Num domingo à toa, de muita preguiça, estou aqui, dando uma voltinhas nos sites de notícias pra ficar "por dentro" de alguma coisa. Daí, encontro essa matéria que é a real pra mim: "Gordinhos sofrem para encontrar roupa da moda".

É isso mesmo. Gordinha não tem vez! Eu gosto de ser fashion mas, ADORO comer bem, tomar minha cervejinha, sem culpa e sem neura — e depois fico sofrendo pra encontrar uma roupa legal para o meu tipo físico avantajado.

Às vezes até deveria pensar em me cuidar mais, mas a correria é tanta, a vida é tão curta, e eu sou tão preguiçosa pra fazer exercícios, que com certeza tenho mais o que fazer! E eu garanto: com certeza eu tenho conteúdo!!! (Duplo sentido! hehehehe)

Queria encontrar mais roupas com mais facilidade, viu!?
Leitura à toa de um domingo de preguiça... Mas é verdade!
Você também não acha?

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

12.4.07

Tô com fome!

Tenho fome e trabalho em casa.
Sou solteira e tenho mãe pra fazer almoço.

TUDO PERFEITO!

Maaaas, tem gente que não tem toda essa sorte e ainda por cima é estagiário — portanto, ganha menos que uma merreca e precisa passar o mês com o valinho-alimentação.

Como brasileiro é o máximo em criatividade, estes estagiários — ao que tudo indica de uma agência de publicidade — tiraram vantagem do sufoco que passam todo mês e criaram um blog sobre como comer em São Paulo com menos de R$ 9,00 por dia. Eu disse: NOVE reais!

Adorei o blog — de super bom humor e bom gosto. Acesse pra conhecer: www.vale9conto.com.br

(Dica: se estiver com fome, veja depois de matá-la! As fotos abrem o apetite!)

Marcadores: , ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

O orgulho teme a própria queda

"O sábio aprecia mais o desprezo do arrogante do que o elixir dos deuses. A humildade dorme profundamente à noite. O orgulho vive acordado, temeroso da própria queda."

Antigo poema sânscrito

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

11.4.07

Semana estranha

- Chocolate demais;
- Dinheiro de menos;
- Revisão de carro;
- Trabalho demasiado;
- Dores musculares;
- Estafa e amigos;
- Muitas coisas pra fazer ao mesmo tempo;
- Tempo curto e mal aproveitado;
- Bebedeira em plena segunda-feira.

Realmente tenho N motivos para deixar esse post de "Feliz Páscoa" aí debaixo até hoje como o "top" da semana.

Escassíssimo o tempo para relax, para escrever, para fazer algo além de dormir...
Mas a vida é assim: a gente vai levando! E com um sorriso no rosto! SEMPRE!

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

6.4.07

Feliz Páscoa!

Aproveite o fim de semana, coma muito chocolate e que ressurja em você toda a fé e crença em si mesmo e no destino que você mesmo traça!

Deus está dentro de nós e só comemoramos a "boa nova" que ele nos trouxe nessa época, há tempos atrás.

Tudo depende de nós mesmos!
Ele só mostra o caminho... Você escolhe.

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Ser da realeza às vezes não adianta

Acabei de ler o livro “Princesa – A história real da vida das mulheres árabes por trás de seus negros véus”, de Jean P. Sasson. A autora reconta a história verídica que ouviu de Sultana, princesa árabe que teve seu nome trocado para não sofrer perseguições ou maiores problemas em seu país, podendo ser morta de alguma maneira cruel.

Sultana é uma princesa na Arábia Saudita que não aceita as leis e os sofrimentos pelos quais as mulheres do país são submetidas. Casamentos arranjados, logo quando elas menstruam, com homens que teriam idade para serem seus pais ou até mesmo avós; a mutilação dos órgãos genitais; a proibição de serem ativas na sociedade e seres pensantes. Os homens lêem o Corão, livro de Maomé com os ensinamentos que este ouviu de Deus, conforme seus interesses, tornando sempre a mulher um ser inferior.

A princesa conta fatos reais de acontecimentos que a cercaram: a predileção por filhos homens e o desprezo pelas mulheres; o assassinato de filhas pelos próprios pais por causa de supostos crimes contra o Corão. O livro é de 1992 e é um apelo da princesa para que o mundo volte os olhos para o sofrimento dessas mulheres. Desde lá até os dias atuais, talvez alguma coisa tenha mudado, mas acredito que as mulheres sofrem até hoje todos os tipos de abusos e muitas vezes são tratadas como animais, sendo vendidas a seus maridos, casando-se sempre em família e com muçulmanos “para que a religião e a família se propaguem sempre”.

Eu chorei lendo esse livro — e sei que não há muito que se possa fazer numa tradição milenar e numa nação que é rica graças ao petróleo. O machismo ainda reina em grande parte do mundo e isso é triste. Em tempo: parece que para a maioria dos homens mulçumanos, todas as mulheres que não seguem os mandamentos de Maomé são prostitutas.

______________________________

Versículo do Corão — livro sagrado do islamismo, dividido em 114 Suras (capítulos) —, sobre o número de mulheres que um homem pode desposar e as instruções para presenteá-las com um dote:

SURA III, 3
Case-se com as mulheres de sua escolha,
duas, três ou quatro;
mas, se tiver receio de não poder
tratá-las com igualdade,
então pegue apenas uma mulher
ou uma cativa
que sua mão direita possui,
pois isso será mais adequado
para evitar que você
cometa uma injustiça.
Ao se casar, dê de presente às mulheres
o dote a que elas têm direito;
mas se elas, de livre e espontânea vontade,
lhe devolverem parte do dote,
aceite-o com prazer
e faça bom proveito dele.

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

"Furacón"

Thaís tem um namorado internacional: meio brasileiro, por parte de mãe; meio alemão, por parte de pai. Morando na Alemanha desde que nasceu, aprendeu português depois de vir visitar a família brasileira várias vezes.

Numa dessas vezes, através da prima dele, amiga de Thaís, eles se conheceram. Ela, extremamente simpática, animada, extrovertida, brasileira. Ele, um alemão também com alma verde e amarela: fala pelos cotovelos, sem vergonha de suas faltas com a língua portuguesa, o
que ele quer mesmo é se comunicar. Os dois falam uma língua própria: português, alemão, inglês - tudo misturado e muito bem compreendido.

Thaís hoje mora na Alemanha com Chri
stian - o simpático alemão quase brasileiro. Mas eles vêm passear (e trabalhar) nas terras tupiniquins de vez em quando e numa dessas vezes, Christian resolveu que queria cortar o cabelo num salão de cabelereiros fashion em São Paulo (sem contar que o corte de cabelo na Europa é um desbunde de caro, diga-se de passagem!).

A seguir, segue a historinha contada por Thaís,
ipsis literis:

"O Christian queria fazer um novo corte de cabelo, mais moderninho e queria que fosse num desses salões badalados que tem em São Paulo. Bem, marquei o horário e fui com ele para o salão. Enquanto ele cortava o cabelo, eu disse que esperaria, lendo uma revista por ali. Caso precisasse de mim para se comunicar (o que eu achava impossível porque ele adora falar português e não tem vergonha de errar!), era só me chamar.

De repente, vejo que os dois cabelereiros que estavam atendendo o Chrisitan não paravam de rir. E o Christian, sem entender nada, ria também. Achei melhor ir lá, ver o que estava acontecendo e eles demoraram a me explicar porque não conseguima parar de rir. Pediram para o Christian explicar o que falava para mim. Quando ele foi dizer como queria o corte, disse para tomarem cuidado com o 'Furacón' que ele tinha na cabeça. O furacón na verdade era um redemoinho!"

Histórias de gringos na terra tupiniquim! Adoro esses causos!

(Outras histórias com Thaís virão! Eu sei... Estou atrasada com as fotos de Tupã - foi com ela que fomos para lá!)

Marcadores: ,

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Que gracinha!




Eu sei, eu sei...
Eu disse que não gostava de Big Brother, mas nas últimas semanas fiquei torcendo pelo Alemão!
Acho que ele mereceu o milhão que faturou no final do jogo, principalmente por ser um cara que mantém a palavra!

E tem mais: ele realmente é a cara do Johnny Bravo! Que eu A-D-O-R-O!!!! Até o Bial, inteligentíssimo e, na minha opinião, muito mal utilizado pela Globo apresentando o programa, comparou os dois.

Gostei!

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

5.4.07

Caleidoscópio

Abra seus olhos
e veja tudo colorido

A vida é muito simples
basta querer enxergar

Ser criança é sempre ter magia
Ser gente grande é continuar a ver
A janela da alma é o nosso olhar
Você vê o que quer acreditar


Você curte a vida
sem sair do lugar
basta sonhar, acreditar, ver

Fazer acontecer é conseqüência
do que você vê adiante...

Seu olhar traz a beleza que você vê
Seu olhar faz levarem de você
A luz que você propaga

Olhar de turista...
Conseguir enxergar a beleza sempre.
A magia está em todo lugar.
Basta ter olhos para ver.

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

3.4.07

Imagens conceito sobre Gabi



Adorei a idéia roubada da Karina e fiz o mesmo!

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

Tenho muitas histórias pra contar do fim de semana que passamos em Tupã, pequena cidade próxima a Araçatuba, no Estado de São Paulo.
Sim, fui para Tupã com uma grande amiga! (E meu namorado, é claro...)
Mas, estou esperando as fotos serem reveladas para mostrar tudo a vocês!!!

Em breve!

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

A Páscoa e seus ovos de chocolate


Tradição Milenar — O hábito de presentear ovos pintados a mão tem origem em rituais pagãos de celebração à chegada da primavera no Hemisfério Norte. Eles simbolizam a fertilidade e o renascimento da natureza em diversas culturas, como a hindu e a chinesa de 3.000 anos antes de Cristo.

A Igreja Católica reconheceu os ovos como símbolo de ressurreição de Cristo no século XVIII, quando começaram a ser distribuídos na Páscoa. Cem anos depois, eles ganharam versões de chocolate.

Fonte: Revista Época

Marcadores:

Emoório Biergarten: Cultivando Prazeres

2.4.07

Capital do agronegócio não fala inglês

Ribeirão Preto é conhecida em todo o Brasil como a capital do agronegócio. A cidade já recebeu vários outros títulos (ou se auto-intitulou), que podemos chamar de ostentosos: ela já foi a capital do café, capital da Mogiana (região em que fica a cidade), Califórnia brasileira (por causa do clima e de sua pseudo-riqueza). Mas, mesmo tendo todos esses belos nomes, não está preparada para receber visitas na “entressafra” da Agrishow – a maior feira de agronegócios do país, que acontece em maio, quando bilhões de reais são negociados na terrinha vermelha da cidade.

Na quinta-feira passada, fui ao mísero aeroporto para buscar uma visita vinda diretamente da Inglaterra. Frank, nosso contato comercial na Europa veio de São Paulo para Ribeirão de TAM – e eu ainda tive o despautério de perguntar qual seria o número do vôo – como se o aeroporto recebesse mais do que uma aterrissagem por vez ou como se tivesse telões com os números de vôos subindo e descendo. E melhor ainda: como se ele tivesse ar-condicionado! Luxo dos luxos, no caso.

Assim que chegou, ele nos contou que quase foi parar no Rio de Janeiro porque quando foi comprar a passagem, não entenderam a pronúncia dele para Ribeirão Preto (realmente foi engraçadíssimo ouvir o gringo tentar dizer o nome da cidade). Mas a TAM foi extremamente prestativa e trocou rapidinho seu vôo e sua bagagem para o avião certo.

Então, fomos deixá-lo no hotel. Ele foi para o Ibis, uma rede francesa, que já se espalhou pelo mundo inteiro. Você realmente acha que o recepcionista falava inglês? Ledo engano! Nem uma só palavra. Esperamos que Frank se acomodasse no hotel para irmos ao Pinguim (a choperia de Ribeirão que segue à risca àquele ditado – se estiver em Ribeirão e não for ao Pinguim, “é como ir a Roma e não ver o papa”). Enquanto o esperávamos, fui fazer minhas perambulações pelo hotel: NADA em inglês. Nem um guia, nem um folheto dos restaurantes da cidade (que tinha aos montes). Ou seja, pra saber qualquer coisa, o gringo teria que achar alguém que falasse inglês.

Na sexta-feira, um dia exaustivo de tradução simultânea, além de negócios. Muito menos pessoas do que você imagina falam inglês no Brasil. De qualquer maneira, Frank, um otimista, que acredita no país tupiniquim, se desdobrou com o seu “fala um pouquinho de português”.

Tivemos que voltar ao aeroporto porque a passagem de volta de Frank tinha saída prevista do Rio de Janeiro (o engano não tinha de todo sido sanado quando trocaram a passagem dele – seria pedir demais) e, mais uma vez o inacreditável: no aeroporto, não tivemos a sorte de conversar com ninguém que falasse inglês. Incrível como o gringo se daria mal até mesmo para pegar um táxi na capital do agronegócio.

Eu sei... Eu falo inglês e me viraria em quase qualquer lugar por isso. O esperado seria que ele fizesse o mesmo: falasse português. Mas não sejamos radicais. A língua é difícil e o inglês é a língua “oficial” dos negócios. Como é que uma cidade que se intitula capital de várias coisas, um pólo de negócios, não tem estrutura para receber os estrangeiros? Realmente, Ribeirão está precisando de uma tradução mais realista de suas verdades.

Minha sorte é ter amigos especialíssimos: levamos Frank na Cachaçaria Água Doce e todos se comunicaram de alguma forma com ele. Ou falando inglês, ou fazendo mímicas, ou dando risada de tudo isso. E é claro, o gringo adorou! Porque brasileiro é sempre o melhor que há nas comemorações!

E por interagir conosco, Frank disse que acredita tanto na nossa criatividade, no nosso dinamismo que tem certeza que daqui 10 anos o Brasil será uma nova Austrália. Tudo bem, Frank. Eu te ouço, eu te traduzo, mas não te acredito. Daqui 10 anos voltamos a conversar sobre isso...

Marcadores: